top of page

Comandos em Ação: Os segredos por trás da origem nome no Brasil

Yo... Joe!

Fonte/Texto Original: Brajões



Quando a Estrela lançou o Falcon no Brasil em 1977, o produto já vinha com suas inscrições na caixa: "Comandos em Ação – Falcon". Até mesmo o primeiro anúncio televisivo trazia o bordão "Comandos em Ação orgulhosamente apresenta... Falcon!"



Para quem não está familiarizado, nosso Falcon é uma versão licenciada localmente do G.I. Joe, apresentando o formato conhecido como "muscle body", fortemente inspirado no G.I. Joe Adventure Team que surgiu no início dos anos 70. Naquela época, a Hasbro licenciou a marca para diversos mercados, pois estava à beira da falência. Mesma época em que os Estados Unidos também estavam enfrentando uma crise econômica, em parte decorrente dos custos da Guerra do Vietnã e da Crise do Petróleo. Foi um período de instabilidade econômica em todo o mundo.


A Estrela, sendo a maior indústria de brinquedos da América Latina e parceira de longa data da Hasbro em licenciamentos de diversos jogos e brinquedos, não considerou o nome G.I. Joe adequado para o mercado brasileiro. Eles buscavam um nome forte, impactante e facilmente assimilável pelo público. Além disso, por utilizar o nome norte-americano iria aumentar os custos de royalties, pois era uma marca registrada da Hasbro reconhecida no Brasil desde 1965.


Embora os detalhes exatos dessas decisões permaneçam desconhecidos, é sabido que o nome Falcon foi inspirado no jogador Falcão, um dos maiores volantes da história da Seleção Brasileira de Futebol. Ele estreou na Seleção em fevereiro de 1976, e a marca Falcon recebeu a licença no Brasil em 23 de julho de 1976, quase um ano antes do lançamento do brinquedo.



É importante ressaltar que nenhum brinquedo chega ao mercado sem pelo menos seis meses de planejamento, geralmente levando um ano ou mais. Após a concepção, há o desenvolvimento de um plano de marketing, a criação de protótipos e uma extensa bateria de testes de segurança para garantir que o produto não represente nenhum risco para as crianças ou adultos. Somente após passar por esses testes, o brinquedo pode ser produzido, e em alguns casos, pode ser necessário redesenhar ou descartar o produto se não atender aos padrões de segurança exigidos.


Observando os dois primeiros modelos de Falcons, o Combate e o Ação Camuflada, era evidente a ligação com uma marca facilmente reconhecível: os Comandos em Ação. Ambos ostentavam uma estética militar (lembrando que estávamos em um período de governo militar), e as embalagens, que incluíam um jipe e um tanque, evocavam operações de comando. A Estrela abandonou a marca Comandos em Ação após o Falcon 80, optando por uma identidade visual mais futurista nas embalagens.




No entanto, é interessante notar que a Estrela apenas registrou a marca Falcon em 1976, não a marca Comandos em Ação. Mas de onde veio "Comandos em Ação"? Nos anos 60, a Editora La Selva lançou uma revista em quadrinhos chamada Seleções Juvenis, que apresentava uma variedade de histórias, incluindo uma intitulada Comandos em Ação.


A publicação Comandos em Ação da La Selva era licenciada de uma revista britânica chamada Commando for Action and Adventure, que começou a ser publicada em 1961. Essa revista contava histórias das duas grandes guerras mundiais e outros conflitos, continuando sua publicação até os dias atuais, com mais de 5400 edições lançadas.


Embora o título principal fosse Seleções Juvenis, o subtítulo, destacado, apresentava os personagens, alguns licenciados e outros adaptados. As histórias de Comandos em Ação eram em preto e branco, focadas em narrativas de guerra e recomendadas para maiores de 16 anos. Diferenciavam-se um pouco dos quadrinhos americanos da época, pois eram de origem britânica, com uma abordagem menos ufanista em relação ao patriotismo.




A Estrela adotou o nome Comandos em Ação, provavelmente inspirada no sucesso da linha G.I. Joe nos EUA, e obteve sucesso similar no Brasil com diversos produtos. A marca ainda pertence à Estrela Brinquedos, com os logos registrados, sendo associada aos bonecos menores de 1:18.


Buscando-se registro de licenciamento, verificamos que a marca Comandos em Ação nunca foi oficialmente registrada para publicações. No entanto, o mercado editorial operava sob suas próprias normas, onde um título não utilizado e não registrado era considerado disponível. Detalhes sobre o funcionamento desse mercado podem ser encontrados no livro "O Império dos Gibis", publicado pela Editora Heróica, que retrata a história da Editora Abril e, por consequência, do mercado editorial brasileiro.


Assim, a Estrela foi capaz de utilizar em suas campanhas publicitárias o famoso slogan "Comandos em Ação apresenta...".


O registro da marca Comandos em Ação ocorreu apenas em 10/04/1984, às vésperas do lançamento dos Comandos em Ação, inspirados no G.I. Joe The Real American Hero, lançado nos EUA em 1982. No entanto, os nomes dos personagens, como Arma Pesada, Bazuqueiro, Rádio Alerta, Cabeça-de-Ponte, Raio Laser e Invasor, já estavam todos registrados em dezembro de 1983.


A Estrela obteve o registro da marca Comandos em Ação em uma ampla gama de categorias na época, incluindo vestuário, artigos de cama, mesa e banho, papelaria, material escolar e publicações. Assim, qualquer produto da época que utilizasse o nome Comandos em Ação precisava de licenciamento da Estrela, inclusive duas tentativas de publicação das histórias em quadrinhos do G.I. Joe da Marvel no Brasil, pela Editora Globo entre 1987 e 1988 e pela Editora Abril entre 1993 e 1994.




Claramente, a Estrela tomou essa decisão considerando o sucesso da linha nos EUA e a vasta gama de produtos que ostentavam a marca G.I. Joe. Esse sucesso foi igualmente replicado no Brasil com os Comandos em Ação em uma ampla variedade de produtos. E essa associação ainda se mantém verdadeira: a marca Comandos em Ação continua sob posse da Estrela Brinquedos.


Os logotipos relacionados aos Comandos em Ação são igualmente protegidos por registro, assim como os do G.I. Joe.



Comandos em Ação é principalmente associado aos bonecos menores, na escala de 1:18, até ser resgatado com o lançamento do Comandos em Ação – Clássicos Falcon em 1994 e posteriormente com o lançamento do Falcon Força de Ataque em 2000. Após um período de suspensão, o retorno ocorreu com o relançamento do Falcon em 2017, em comemoração aos 80 anos da Estrela.



Ao longo dos anos, os Comandos em Ação se tornaram mais do que simples brinquedos - eles representam uma parte da infância de muitos brasileiros e continuam a cativar novas gerações até hoje. A mudança de nome para "Comandos em Ação" não apenas adaptou os bonecos ao contexto cultural brasileiro, mas também os transformou em ícones duradouros da imaginação e aventura.

7 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page