5 de out de 2010

Espaço Aberto [Drift - Generations]

Por Edson Silva [matéria originalmente publicada no Cyberclube]


Este artigo deveria ser sobre um custom que já deveria estar pronto. Mas estamos fazendo uma pequena reforma em casa e, por conta disso, estou impossibilitado de trabalhar com o aerógrafo, devido à poeira, fuligem e sobras de material de construção acumulados pela casa toda.

Por isso, decidi fazer alguns comentários sobre um item que chegou em casa há mais ou menos três meses, mas que permaneceu fechado até agora: Drift. Ainda não entendi qual é o objetivo da Hasbro com essa linha Generations, mas fico satisfeito em saber que as personagens da G1 continuarão sendo lançados, mesmo que junto com um monte de outros toys de outras séries... e alguns com qualidade bastante duvidosa.

Drift é um personagem criado pela editora IDW, responsável pelos quadrinhos dos Transformers nos E.U.A. De acordo com a biografia da embalagem - que não é muito confiável, diga-se de passagem - no passado Drift era um Decepticon chamado Deadlock. Era um guerreiro excepcional e um dos mais temíveis soldados a serviço de Megatron. Mas em um dado momento ele deixou de fatiar Autobots e se arrependeu de seus atos cruéis... [Por quê?] Porque, sim! =P

Desde então passou a ser conhecido como Drift e devotou sua vida a caçar Decepticons pela galáxia. Nos quadrinhos ele se alia aos Autobots, mas a história é um tanto quanto confusa e ainda está sendo revelada nos E.U.A., por isso não pretendo falar sobre a trama dos quadrinhos, pelo menos neste post.    

O modo alternativo não reproduz nenhum veículo em especial. Na verdade ele se assemelha com vários modelos e parece ser um híbrido entre o Nissan Silvia S15 e o Honda S2000.

Não há muitos detalhes no modo alternativo, a não ser o kanjii nas laterais, que significa "samurai".




Já no modo robô a coisa é diferente. Eu diria que ele tem detalhes muito raros para um deluxe class, como os símbolos na katana e a possibilidade de embainhá-la (assim como as outras duas adagas menores). É claro que a Hasbro poderia ter dado uma garibada melhor na pintura dele, mas o molde em si é muito interessante. 

E por falar em molde, existe um problema somente perceptível no momento da conversão de veículo para robô. Há um encaixe em forma de "aba" na parte inferior da perna direita, que se encaixa num vão da perna esquerda. A aba é muito comprida e fica muito justa no vão. Isso dificulta muito seu desencaixe, pois se você fizer muita força para mover as pernas, pode quebrá-la. A solução é desencaixar todas as partes das pernas e flexionar os joelhos para poder fazer a aba deslizar pelo vão. Você precisa empurrar uma perna para cima e outra para baixo e com o máximo cuidado para não forçar demais o plástico. 


Obviamente o engenheiro que projetou o molde não deve tê-lo testado pessoalmente...   =P


Bem, para sanar esse defeito, eu cortei a aba pela metade, deixando apenas a parte de baixo e, depois, passei uma lixa 600. Pronto. Agora quando quiser transformá-lo novamente é só empurrar uma perna para cima e outra para baixo. Como o encaixe ficou menor, ele deve sair do vão com muito mais facilidade.



Logo após o lançamento do Drift foi confirmado que esse molde teria um repaint que serviria para outro personagem: BlurrSinceramente eu gostaria de comparar a versão americana com a japonesa, que deve ser lançada poucos dias antes do Natal. 

Pena que nenhuma editora nacional se interessou em publicar o material da IDW por aqui... eu gostaria muito de poder acompanhar essa mini-série do Drift.

0 comentários:

Postar um comentário


 
Design by W. Alex. Silva
-